13 dicas para aproveitar a feira hippie ao máximo!

A feira hippie de BH fez parte da minha infância e é destino certo pra mim pelo menos uma vez a cada dois meses. Isso porque, em um só lugar, dá pra encontrar vários produtos diferentes, bonitos, com preços que cabem no bolso.

Mas essa também pode ser uma experiência bem frustrante se você não souber aproveitar. Aqui, reuni algumas coisinhas que fui aprendendo ao longo dos anos, e espero que sejam úteis pra você também!

Ah, o horário de funcionamento lá é de 7h às 14h, na Avenida Afonso Penna!

362ac67f76184d80afd7e3ebc77dca13.jpg

via pinterest

Escolha corretamente quando ir

Planejando-se com antecedência, você pode dar preferência para o fim de mês. Isso porque, no começo, as pessoas receberam, e vão em massa para lá, a fim de aproveitar os ótimos preços oferecidos.
Outra dica é prestar atenção ao horário: se você quer barracas cheias e corredores vazios, levante cedo! Particularmente, eu gosto de ir pra lá entre sete e oito da manhã. Por outro lado, algumas barracas oferecem descontos quando chega o fim da feira, entre 12 e 14h. Isso porque os lojistas querem limpar seus estoques antes de voltarem para a casa

Prepare-se psicologicamente

Ir para a feira é divertido, mas não é tarefa fácil. Logo, você estará cansado de ver tantos produtos, experimentar e de esbarrar com tanta gente. Quando isso acontecer, se permita uma pausa, arrume na sacola o que você já comprou ou mesmo pare para comer ou beber alguma coisa (existem ambulantes por toda a feira e barraquinhas de lanches variados dispostas no início, no meio e no fim da feira).

Entenda o sistema de organização da feira

Por mais bagunçada que possa parecer, a feira tem um sistema de organização, e você pode verificar isso pela cor dos toldos das barracas. Confira a lista abaixo, que considera o trajeto Guajajaras – Bahia:
  • Listradas de verde e branco: alimentos e bebidas;
  • Marrons: calçados (mas algumas barracas podem vender também cintos e bolsas);
  • Verdes: cintos, bolsas e acessórios (geralmente, os acessórios são em couro, e algumas barracas podem também vender calçados;
  • Amarelas: arranjos e complementos
  • Listradas de vermelho e branco: bijuterias
  • Listradas de azul e branco: brinquedos infantis
  • Azuis: vestuário infantil
  • Listradas de amarelo e branco: vestuário adulto
  • Lilases: cama, mesa, banho e tapeçaria
  • Rosadas: decoração e utilidades
  • Beges: mobiliário, arranjos e cestas
Existem ainda, próximas à grade do parque municipal, quadros e artes. Do outro lado da avenida, ficam artesãos de diversos tipos.
Você pode ver o mapa completo da feira clicando aqui.
b121abdaa5237d7ea828fd36b47dc2d4.jpg

Saiba mais ou menos o que você quer

Como deu pra ver no tópico acima, a feira tem de tudo um pouco. Para não se cansar tanto, não gastar tanto e não enlouquecer (!!!), pense previamente no que você quer comprar. Dessa forma, você otimiza a sua rota, economiza fôlego e evita a tentação de passar por barraquinhas repletas de produtos que você não precisa, mas quer.

Comece do começo

Dito isso, comece do começo. Você pode iniciar suas compras pela esquina com a rua Guajajaras ou pela esquina com a Rua da Bahia. De qualquer uma das formas, você anda sempre em frente e entra apenas nos setores que quer. Isso pode parecer bem óbvio, mas acredite em mim: poucas coisas são mais cansativas do que ficar indo e voltando, de setor em setor, por conta de pouco planejamento de roteiro.

Guarde bem o seu dinheiro (e tenha controle dos gastos)

Tome conta direitinho do seu dinheiro. Digo isso por dois motivos: o primeiro porque, como é um lugar muito cheio, não é incomum acontecerem roubos e furtos na feira. Guarde o dinheiro no sutiã, nos bolsos da frente ou, como minha avó me ensinou, em uma doleira. Algumas barracas aceitam cartão, e você pode levá-lo também se quiser (só não deixe de levar dinheiro em espécie, porque muitas ainda não trabalham com esse sistema).
O segundo é: você vai querer comprar muitas coisas! Por isso, controle com rigor o seu dinheiro, para gastar o previsto, com coisas que você realmente gosta, e sem comprometer seu orçamento.

Use tênis e roupas confortáveis (e fáceis de tirar)

A feira não toma muito espaço, mas costumamos andar muito, por fazer zigue-zague entre as barracas. Por isso, e para evitar dores e eventuais pisões em seu pé, dê preferência ao uso do tênis. Os sapatos devem ser também fáceis de tirar, se a sua ideia for comprar algum(ns) par(es).
Para além disso, se você for comprar roupas, precisará experimentar. Algumas barracas permitem que você experimente no espaço interno, com mais privacidade, mas outras recomendam que você experimente por cima da roupa que está usando. Por isso, prefira materiais leves e mais “sequinhos” no corpo, para facilitar a prova.

Sempre pegue cartõezinhos

Alguns artesãos e barracas em especial chamam atenção, seja pelo preço, pelas peças únicas ou pela simpatia de quem atende. Pensando nisso, e no fato de que as barracas podem ser realocadas, não se esqueça de pedir o cartãozinho da barraca que você gostou. Assim, você terá acesso aos contatos e endereço do lojista, e poderá até, em certos casos, encomendar peças específicas e marcar de buscar na feira nas semanas seguintes.
007f1e044e389915558e5da0b198c1bf

Saiba quando negociar

Os preços da feira costumam ser bastante convidativos. No entanto, algumas vezes vemos produtos de lugares de baixo custo de mão-de-obra, mas com preços altos. A minha primeira dica para esses produtos é: evite. Eles tendem a estragar mais facilmente, e geralmente os trabalhadores que os produzem ganham pouco e possuem péssimas condições de trabalho. As bijuterias desse tipo podem ainda possuir cádmio, que é prejudicial à nossa saúde.
A segunda dica é: se você quiser mesmo comprar esses itens, vá em frente e negocie. Comprando um número maior de peças, você pode obter descontos e conseguir uma boa barganha.
A terceira dica é uma opinião bastante pessoal: evite pedir descontos a produtores artesanais. O produto deles é diferenciado e feito com maior cuidado e capricho. Pedir descontos insistentemente é desvalorizar a ideia, a execução e o material utilizados ali.

Saiba pesquisar preços

Esse é um desmembramento do item acima. O que acontece, principalmente no setor de bijuterias, é de vermos várias barracas com peças idênticas entre si, e com preços completamente diferentes uns dos outros. Por isso, se for comprar esse tipo de coisa, pergunte por seu preço em mais de um local. Eu mesma já cheguei a achar peças pela metade do preço que eu tinha visto na primeira barraca.

Saiba quando comprar

Outro desmembramento: você deve saber também, mais ou menos, a hora de comprar. Isso acontece muito com peças artesanais, que você não encontrará com facilidade em outros lugares. Portanto, se você vir algo que pareça único e gostar, compre, para não correr o risco de ter que voltar depois e pior, não achar o produto desejado.

Entenda a dinâmica dos preços

Assim como há barracas com produtos baratos e largamente vendidos, há outras em que as peças possuem acabamento diferenciado, materiais melhores, uso de couro legítimo, prata e semijóias, etc. É claro que os preços serão proporcionais. Por experiência própria, já aprendi que algumas dessas peças (como bolsas, calçados e semijóias) costumam valer o investimento, durando mais que muitos produtos de marcas conhecidas.

Coma bem!

Não é só de compras que se faz a feirinha. Nas barraquinhas de comidas e bebidas, você consegue encontrar pastéis, espetinhos, feijão tropeiro, cachorro quente, caldo de cana, água, cerveja, refrigerante, acarajé, doce de leite, cocada e muito mais! Uma verdadeira experiência gastronômica. Mas atenção: as barraquinhas mais cheias costumam ser aquelas que tem melhores petiscos e maior higiene. Vale a pena pegar a fila!
Anúncios

DIY: Parede de paetês!

Tá na hora de mudar a decoração do quarto, você não aguenta mais as paredes brancas sem-graça e o orçamento não tá ajudando? Tem uma festinha programada e falta brilho, ainda tá tudo meio fuén?

enhanced-buzz-7325-1347915865-4 1Já pode dar um jeito, viu?! Ó que lindeza, que brilho, que gramu! Passo a passo aqui.

Créditos das imagens: Oh Happy Day e Buzz Feed.

DIY: Arranjos!

As vezes tudo o que a gente precisa é de um pouco de frescor, um toque de cor, uma delicadeza pra dar novos ares pra casa. E quer alguma coisa melhor do que um arranjo de flores pra fazer isso?

final-how-to-arrange-flowers-at-home-roses-cupofjoNesse site aqui tem dicas de como fazer três arranjos lindos com flores que você encontra no supermercado! Vale a pena dar uma olhada, é cada um mais gracinha que o outro!

Créditos da imagem: A cup of Jo.

Decoração: Bandeirinhas!

Como já falei aqui no blog, por problemas de limitação geográfica ou financeira, muitas vezes a gente acaba não conseguindo comprar os itens de decoração que quer, e por isso, eu trago aqui coisas que dá pra gente fazer com material baratinho e grandes doses de criatividade e boa vontade.

Hoje é a vez das bandeirinhas, que podem ser colocadas nos mais diversos lugares, do seu quarto à decoração daquela festinha intimista. Olha só:

Foto 1

188447565627855137_SJzxXuah_c (1)

foto 2

0b8eb0069860a52a24c42247893d994c

foto 3

Créditos das imagens: Pinterest, Emmelines, Exclusively Weddings, Lori Curie, The Path Less Traveled Market, Quem, Seeds and Stitches, Something From Cassie e Vintage Gwen.

DIY: Arara!

Quando eu fui pra faculdade, fui morar em um apartamento não mobiliado, e levar o eu guarda-roupas (que eu ainda divido com a minha irmã) era tarefa impossível. Durante mais de seis meses eu fiquei com todas as minhas roupas dentro das malas. Foi um pesadelo.

Queria uma arara, por ser de fácil transporte e porque eu gosto da ideia das roupas expostas, quase que como item de decoração. Mas quem disse que em cidade interiorana a gente acha esse tipo de coisa? A solução é fazer a gente mesmo, né?! Então, eu encontrei esse ‘tutorial’ aqui de como fazer uma arara. Não é tarefa fácil, já aviso. Mas é uma mão na roda. E é lindo.

Tá na minha listinha de ‘coisas a fazer’ já!

Decoração: Parede cheia!

A fotografia é parte fundamental da nossa memória: quantas vezes você olhou aquelas fotos de um momento legal e sorriu, tendo vontade de voltar para aquele mesmo momento congelado naquele pedacinho de papel? Pois é, a ideia aqui é transformar esses momentos em nostalgia em decoração: dispensar os porta-retratos e encher a parede com as suas melhores fotos! Vale colocar molduras, pisca-piscas, mesclar fotos pessoais com imagens inspiradoras e objetos interessantes, colocá-las em disposições convencionais ou inovadoras… O que vale é abusar da criatividade!tumblr_lmdgcrk1m81qzeq6qo1_500 45224089_UAxEqPJR_c 112415502_qRp1uVkR_c 116722213_yDBMdTGo_c 116728795_WWLmeham_c 116763383_oQTGSBj7_c 5633946626_48215b22fc_z-e1327879276462 155937205817190168_hnxMT6Ru_c oliveryahe-com sortrature tumblr tumblr_l7vj7r2kdG1qa684qo1_500 tumblr_l7vyq7pljw1qa49bbo1_500 tumblr_l891fgy1cU1qbv1gso1_500Aqui tem algumas outras configurações interessantes pra você dispor as suas fotos:

zzCréditos das imagens: Tumblr e Pinterest.